Equipe de saúde participa de formação sobre Hanseníase

Janeiro é mês de mais uma campanha voltada à saúde. O Janeiro Roxo é considerado o mês de conscientização sobre a Hanseníase.

Desta forma, profissionais médicos, enfermeiros, odontólogos e a equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf) participaram nesta quinta-feira, 25, da programação de qualificação de profissionais para a realização da Semana Municipal de Hanseníase, que deverá acontecer na segunda quinzena de fevereiro.

A Semana de Municipal de Hanseníase tem como objetivo realizar um melhor prognóstico, além de garantir quebra de cadeia de transmissão e cura da doença, através de ações de atenção básica que estarão voltadas para identificação de casos novos da doença em nosso município.

Segundo o secretário de saúde José Martins a hanseníase é uma doença que preocupa todo o país. “A hanseníase coloca o Brasil em segundo lugar em número de casos, atrás apenas da Índia, já o Tocantins é considerado como um dos estados mais endêmico do país”, ressalta o secretário.

O que é a hanseníase?

Segundo o Ministério da Saúde define-se hanseníase como uma doença crônica, infectocontagiosa, cujo agente etiológico é o Mycobacterium Leprae. É uma doença que ataca pele e nervos e com a demora do diagnóstico ocasiona no paciente incapacidades físicas, perda da sensibilidade e deformidades.

 

Entre os sintomas da doença estão: sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades, manchas brancas ou avermelhadas, geralmente com perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e tato; áreas da pele aparentemente normais que têm alteração da sensibilidade e da secreção de suor; caroços e placas em qualquer local do corpo; diminuição da força muscular e dificuldade para segurar objetos.